• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Sintego chama para ato em defesa do Imas

Enquanto Imas não atende os usuários, Prefeitura de Goiânia paga R$ 11 milhões em terceirização de serviço de raio-x, enquanto tem aparelhos novos e encaixotados em seu almoxarifado

Publicado: 10 Abril, 2018 - 13h19

Escrito por: Maisa Lima, assessora de Comunicação da CUT Goiás

notice
 
O programa Antena Ligada desta terça-feira (10), que vai ao ar pela Rádio Trabalhador (RT) – www.radiotrabalhador.com.br - destacou o ato que xs trabalhadorxs da Educação da rede municipal de Goiânia realizarão nesta quarta-feira (11), às 9 horas, na Praça do Bandeirante, no Centro da cidade, em defesa do Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas).
 
Na verdade o ato deve atrair também trabalhadorxs de outras categorias, já que o Imas é de todxs os servidorxs da Prefeitura de Goiânia. Após o ato, os participantes farão uma caminhada da Praça do Bandeirante até a sede do instituto - Avenida Paranaíba, 1413, Centro -, para cobrar melhorias e regularização nos atendimentos aos usuários. A RT vai mostrar ao vivo, das 10 às 11 horas, essa ação em defesa do Imas.
 
Terceirização
O secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e suas Concessionárias, Permissionárias, Franqueadas, Coligadas  e  Subsidiárias  no Estado de Goiás (Sintect-GO) Elizeu Pereira da Silva participou desta edição do Antena Ligada. E cobrou dos gestores públicos eficiência na aplicação dos impostos recolhidos da população. “A máquina é muito eficaz para cobrar, mas não tem o mesmo desempenho em transformar esse dinheiro em serviços de qualidade”, pontuou.
 
Elizeu não estava se referindo apenas ao sucateamento da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), que ele vem combatendo a todo momento, entendendo que esta é uma estratégia do governo golpista de Michel Temer (MDB) para tornar a privatização dos Correios mais palatável à população.
 
O sindicalista analisava também a denúncia da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades na Saúde. Nesta segunda-feira (9), os vereadores Elias Vaz (PSB) e Jorge Kajuru (PRP) denunciaram gasto de mais de R$ 11 milhões nos dois últimos anos com a terceirização do serviço de raio-x em seis unidades de saúde da capital, enquanto há aparelhos novos ainda encaixotados no almoxarifado da Prefeitura. A CEI vai pedir o cancelamento imediato do contrato e a instalação dos novos aparelhos. 
carregando