• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Trabalhador
MENU

CUT Goiás se posiciona em caso de racismo contra entregador negro

CUT Goiás se posiciona contra caso de racismo e vulnerabilidade de trabalhadores/as de aplicativos

Publicado: 27 Outubro, 2020 - 14h10

Escrito por: Maísa Lima

notice

A Central Única dos Trabalhadores no Estado de Goiás (CUT Goiás) vem a público repudiar o racismo que vitimou um entregador de aplicativo (app) em Goiânia (GO).

A gerente de uma hamburgueria localizada no Setor Goiânia 2 relatou que na noite desta segunda-feira (26) teve um pedido no Aldeia do Vale e quando o entregador estava chegando lá foi pedida a liberação da entrada, negada pela moradora por ele ser negro.

Não foi divulgada nenhuma informação sobre a pessoa para evitar um possível processo por difamação. No entanto, o crime de ódio será denunciado pelo estabelecimento.

É muito sério o que está acontecendo no Brasil, onde cerca de 14 milhões de pessoas estão desempregadas conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Por um lado, assistimos ao recrudescimento do racismo, que é um crime, por outro, à precarização do trabalho: os apps intermediam a oferta de serviços de 4 milhões de trabalhadores mal remunerados.

A Reforma Trabalhista aprovada pelo governo Michel Temer (MDB) em 2017, pá de cal na histórica Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), conjunto de normas que protegiam os empregados desde os anos 1930, pavimentou a estrada para a prosperidade dos aplicativos.

Uma das alterações mais radicais foi a permissão da terceirização em todos os níveis da atividade empresarial, o que permite tratar qualquer funcionário como autônomo.

A CUT Goiás exige que as autoridades competentes tomem a si a apuração e punição deste crime de racismo e vai continuar exigindo condições para que todas e todos possam ter direito a um trabalho decente, onde todos os direitos sejam preservados e respeitados.

Central Única dos Trabalhadores no Estado de Goiás