• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Trabalhador
MENU

CUT Goiás repudia decisão da Alego de barrar nome de Bia de Lima para o CEE

Em nota, entidade critica o que chama de obscurantismo e retrocesso de grupo de deputados

Publicado: 13 Maio, 2019 - 10h23

Escrito por: Maísa Lima

notice
Bia de Lima é presidenta do Sintego e conselheira suplente do CEE

Num flagrante desrespeito à sociedade civil goiana, que, através do Fórum Estadual de Educação – composto por mais de 40 entidades – indicaram a professora Bia de Lima para o Conselho Estadual de Educação (CEE), um grupo de deputados da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) barrou a indicação da educadora, que já é conselheira suplente e também presidenta do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego).

A dedicação de Bia por uma educação pública e de qualidade e a luta pela valorização dos trabalhadores do setor permeiam toda a sua vida e foi por isso mesmo que o Fórum a indicou para a vaga.

É um acinte o que esses deputados fizeram. Não demora e desqualificarão o próprio CEE. Afinal, em seu Regimento Interno consta que cabe a este conselho:

“Zelar pelo cumprimento das políticas públicas de educação que visam ao respeito aos direitos humanos, à inclusão, à diversidade, ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o mundo do trabalho”. E mais: “Garantir que o ensino seja ministrado de acordo com os seguintes princípios: a) Igualdade de condições para o acesso, a participação, a permanência e o êxito na escola; b) Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a cultura, a arte e o saber; c) Pluralismo de ideias e concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e particulares de ensino; d) Gratuidade do ensino público”.

Todas essas premissas não coadunam com o perfil machista e misógino desses deputados, que alegaram que a professora Bia de Lima seria defensora da “ideologia de gênero”.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Estado de Goiás, que representa mais de 60 sindicatos de diversas categorias, repudia veementemente o comportamento antidemocrático da Alego e exige o devido respeito à indicação do Fórum Estadual de Educação. O contrário representa um retrocesso inadmissível para o Estado de Goiás e, principalmente para Conselho Estadual de Educação.

Veja a lista dos deputados que votaram contra a Educação:

Henrique César (PSC)
Amilton Filho (SD)
Paulo Trabalho (PSL)
Del. Humberto Teófilo (PSL)
Júlio Pina (PRTB)
Amauri Ribeiro (PRP)
Chico Kgl (DEM)
Iso Moreira (DEM)
Cairo Salim (PROS)
Rafael Gouveia (DC)
Zé Carapô (DC)
Jeferson Rodrigues (PRB)

Central Única dos Trabalhadores no Estado de Goiás (CUT Goiás)