• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Trabalhador
MENU

Confira o resultado do 1˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos

Cerimônia de premiação repudia ataque e perseguição a jornalistas

Publicado: 04 Julho, 2019 - 13h27

Escrito por: Cláudia Nunes

notice
Presidente da CUT-GO, Mauro Rubem entrega prêmio ao jornalista Renato Dias

Em um auditório lotado por jornalistas, defensores e defensoras de direitos humanos e representantes de movimentos sociais, foi feita a entrega do 1˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos, no dia 2 de julho, promovido pelo Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás (UFG), Sindicato dos Jornalistas de Goiás e Núcleo de Estudos e Pesquisa em Direitos Humanos da UFG.

Na abertura do evento, realizado no Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro, a jornalista Claudia Nunes, integrante da coordenação executiva do Comitê e da comissão organizadora, reproduziu trecho da nota pública emitida pelo Instituto Vladmir Herzog para repudiar o ataque e a perseguição a jornalistas e comunicadores brasileiros.

“Lamentavelmente, esse tipo de ataque não é novidade. O Brasil é, já há algum tempo, um território em que a liberdade de expressão é pouquíssimo respeitada e, ano após ano, os diferentes rankings sobre o tema confirmam esse cenário desolador. Nos últimos dias, a internet foi palco de uma verdadeira proliferação de ofensas, mensagens caluniosas e ameaças aos jornalistas do Intercept Brasil e seus parceiros. Um país que pretende fortalecer seu Estado de Direito não pode, em hipótese alguma, permitir que situações como esta aconteçam. Em uma democracia, é absolutamente imprescindível que o jornalismo tenha totais condições para produzir e fazer circular as informações e é preciso que Estado e sociedade adotem, de forma permanente e irreversível, medidas para garantir que esse direito possa ser exercido plenamente. Entendemos que a segurança desses profissionais é, na prática, a segurança de todos nós,” repetiu ela.

Para marcar os três anos de criação do Comitê Goiano de Direitos Humanos, Angela Cristina Ferreira, também integrante da coordenação executiva da entidade, relatou os principais casos de violações de direitos humanos acompanhados: criminalização do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), genocídio da juventude negra e periférica (Caso Centro de Internação Provisória de Goiânia - CIP e Solar Bougainville), violência policial, cerceamento do direito de protesto e manifestação, ameaças ao território quilombola, violência contra população em situação de rua, entre outros.

Os troféus, especialmente criados pelo artista plástico Oscar Fortunato, foram entregues por defensores e defensoras de direitos humanos.

Veja abaixo a lista completa dos jornalistas premiados:

Categoria Arte
1˚ lugar: Charge “Taxa de Mortalidade”
cartunista Jorge Braga - Jornal O Popular

Categoria Fotografia
1˚ lugar: “O Pequeno Gênio”
fotógrafo Cristovão Matos - Jornal Diário da Manhã

Categoria Produção em Texto Impresso
1˚ lugar: Polícia investiga o que pode ser a maior chacina da capital
Thalys Alcântara – Jornal O Popular

2˚ lugar: Não há mais mães para chorar pelos desaparecidos.
Renato Dias – Diário da Manhã

Categoria Produção na Web
1˚ lugar: A história dos dez adolescentes queimados vivos em Goiás
Yago Sales (com colaboração de Ton Paulo) – Portal Dia Online

2˚ lugar: Direitos Humanos: A quem defendem?
Caroline Brandão / Leticia Rocha / Luiz Felipe Fernandes Neves / Carolina Melo – Jornal UFG

Categoria Livro-Reportagem
1˚ lugar: Insurgência – Crônicas da Repressão
Bruno Souza Destéfano - UFG

2˚ lugar: Vulcões em Vidro
Maria Julia Souza - UFG

Categoria Reportagem, Documentário ou Série em Audio
1˚ lugar: Entrevista com Sabrina Bittencourt sobre abuso sexual de mulheres por líderes espirituais
Associação Mulheres na Comunicação – Programa Voz da Mulher

2˚ lugar: Podcast sobre Meio Ambiente – Conduta Cidadã - Rádio Universitária
Jyeniffer Taveira Silva


Categoria Reportagem, Documentário ou Série em Video
1˚ lugar: Série Ditadura: Um Passado Sombrio - TBC
Direção: Jarleo Barbosa (argumento de Renato Dias)

2˚ lugar: Reportagem Vida Vesúvia - TV UFG
Natália Loiola


Homenagens
Para encerrar a noite, três defensores e defensoras de direitos humanos foram homenageados com o Troféu “Vida Dedicada aos Direitos Humanos”, cuja trajetória histórica impactou o estado de Goiás. São eles: Maria Delma Costa, com marcante atuação no campo da comunicação popular; Frei Dominicano Marcos Sassatelli, incansável em sua luta pela igualdade e justiça social; e Pedro Wilson Guimarães, ex-prefeito de Goiânia e ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos como deputado federal pelo PT.

A 2˚ edição do Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos foi confirmada pela comissão organizadora e premiará trabalhos jornalísticos publicados ao longo de 2019.

A Comissão Organizadora é formada pela diretora da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da UFG, Angelita Ferreira; integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Direitos Humanos da UFG, Michele Franco; Claudia Nunes, integrante da coordenação executiva do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino; e Claudio Curado, tesoureiro do Sindicato dos Jornalistas de Goiás