• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

A luta antimanicomial e o Congresso do Povo

Rádio Trabalhador entrevista Heloísa Massanaro e Dennis Gonçalves

Publicado: 14 Maio, 2018 - 13h34

Escrito por: Maisa Lima, assessora de Comunicação da CUT Goiás

notice

Heloísa e Dennis são entrevistados pelo jornalista Roberto Nunes

 

O programa Antena Ligada da Rádio Trabalhador (www.radiotrabalhador.com.br) entrevistou nesta segunda-feira (14) a psicóloga Heloísa Massanaro e Dennis Gonçalves, do Movimento Camponês Popular (MCP) e um dos coordenadores do Congresso do Povo, cujo seminário de Formação de Formadores foi realizado neste sábado (12), na Central Única dos Trabalhadores no Estado de Goiás (CUT Goiás).

Heloísa é militante da saúde mental e atua no coletivo Desencuca, que tem perfil independente/autônomo/voluntário e desenvolve atividades de convivência, promoção da saúde integral e inclusão social através da arte-cultura-educação. Ela lembrou que 18 de maio é o Dia Nacional da Luta Antimanicomial e contra o Abuso e a Exploração Sexual. 
 
"A liberdade é um direito de todos e por muito tempo pessoas que apresentavam doença mental em algum momento da vida eram retiradas do convívio social. Embora 70% dos manicômios tenham acabado, esses espaços ainda resistem. Quem sofre de doença mental precisam ser atendido em liberdade e não ser abandonado na rua. Manicômio não são as paredes. São as ideias que temos e que isolam as pessoas, que segregam", pontua a psicóloga.
 
Heloísa também criticou o desmonte que o governo federal vem patrocinando no Sistema Únicao de Saúde. "Cada vez que o governo tira dinheiro do SUS, mais os planos de saúde comemoram. O SUS faz muito mais que consultas médicas. São vacinas, tratamento de AIDS, vigilância sanitária e muito mais. A população precisa ficar atenta e defendê-lo", alertou.
 
Congresso do Povo
Outro tema debatido no Antena Ligada, que vai ao ar de segunda à sexta-feira, das 10 às 11 horas, foi o Congresso do Povo, um evento que será realizado em etapas locais, municipais, estaduais e nacional, de maio a julho deste ano. Em cada etapa, os principais problemas do País serão discutidos pela própria classe trabalhadora, num exercício de democracia direta e participativa, constituindo Projetos Populares para cada bairro, escola, fábrica; para cada município e Estado.
 
"Estamos apresentando o projeto que a gente defende para o Brasil e queremos debatê-lo com o povo. Democratizar esse debate. Hoje o Brasil gasta um trilhão de reais por ano com o pagamento da dívida pública, enquanto negligencia as políticas públicas, como as de transporte coletivo e educação. Como o governo federal não faz mais as conferências nacionais, acabaram os canais que permitiam à população influir nas políticas públicas. Existe uma grande demanda represada nesse sentido", explica Dennis.
 
Cerca de 30 municípios participaram do seminário do Congresso do Povo. Dennis informou que agora é preciso organizar material para fomentar o debate. "É preciso sistematizar o processo pedagógico. Queremos chegar a pelo menos 100 municípios", adianta.
 
 

 

 
carregando
carregando