• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

"A condenação de Lula é a condenação da classe trabalhadora"

Programa Antena Ligada debate decisão do STF, H1N1 e muito mais na Rádio Trabalhador

Publicado: 05 Abril, 2018 - 13h30

Escrito por: Maisa Lima, assessora de Comunicação da CUT Goiás

notice

O programa Antena Ligada da Rádio Trabalhador desta quinta-feira (5) se destacou pela variedade de temas tratados: a gripe H1N1, responsável por mais uma morte no Centro de Assistência Integral à Saúde (Cais) da Vila Nova, em Goiânia (GO); a repercussão da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em não conceder o habeas corpus ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva; os problemas que a Emenda Constitucional (EC) 95 está provocando na vida dos brasileiros; e a ineficiência da Prefeitura de Goiânia.

Além disso, o jornalista Roberto Nunes recebeu no estúdio da RT a diretora de Formação Sindical e de Sindicalização do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Sintsep-GO) Márcia Jorge e o advogado Welton Marden. A presidenta do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego) Bia de Lima também falou ao vivo, por telefone, sobre as demandas da categoria nas redes municipal e estadual de ensino. Tudo isso das 10 às 11 horas, como você acompanha de segunda a sexta-feira pelo Facebook ou pelo site www.radiotrabalhador.com.br.
 
H1N1
Quanto ao vírus H1N1, você poderá se informar melhor acompanhando o Antena Ligada desta sexta-feira (6), quando a médica infectologista e diretora técnica do Hospital de Doenças Tropicais (HDT) de Goiânia, Heloina Claret de Castro, vai responder a uma série de perguntas sobre a gripe, desde se está havendo uma epidemia e se há leitos suficientes na rede pública de saúde, até os cuidados que devemos ter para não sermos infectados.
 
STF
Quanto ao habeas corpus que o STF negou ao ex-presidente Lula, o advogado Welton Marden foi enfático ao afirmar que a suprema corte ignorou a Constituição. “Ora, como expuseram todos os ministros que votaram a favor do HC, o artigo 5º da nossa Carta Magna é claro: ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado. Não tem como haver dificuldade de interpretação. Foi um julgamento político”, declarou. 
 
Por seu turno, Márcia Jorge concordou e acrescentou: “a condenação de Lula é a condenação da classe trabalhadora. No caso dos servidores públicos federais, fomos transformados em bodes expiatórios, já que a EC 95 está sucateando todos os serviços prestados à população”, pontuou a sindicalista.
 
Educação
Em sua participação por telefone, Bia de Lima informou que Sintego teria nesta quinta-feira uma reunião com o secretário de Governo do município, Samuel Almeida, para afunilar as negociações em torno da pauta de reivindicações dos trabalhadores da Educação de Goiânia. Já foram feitas quatro assembleias este ano e até agora o prefeito Iris Rezende (MDB) não se posicionou. A novidade é que ele concordou em receber o sindicato em audiência nesta sexta-feira, dia 6, às 9 horas.
 
Vale lembrar que nessa mesma data e horário, 9 horas, o Sintego realizará assembleia com os trabalhadores da Educação da rede estadual, em frente à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). A pauta de reivindicações envolve o piso, eleições para diretores de escolas, Data-Base, progressões e concurso público.
carregando