• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
  • Rádio Trabalhador
MENU

3˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos

Iniciativa é do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, Sindicato de Jornalistas de Goiás, Faculdade de Informação e Universidade Federal de Goiás

Publicado: 14 Setembro, 2021 - 11h07

Escrito por: Cláudia Nunes

notice

Estão abertas as inscrições para o 3˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos, uma iniciativa do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, Sindicato de Jornalistas de Goiás (SindJor), Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) e o Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisa em Direitos Humanos da Universidade Federal de Goiás (UFG), para fortalecer a liberdade de imprensa e valorizar o trabalho de jornalistas goianos que colaboram com a promoção dos Direitos Humanos.

São aceitos trabalhos jornalísticos publicados no ano de 2020 em veículos de comunicação de Goiás em seis categorias: Fotografia, Texto Impresso, Web, Rádio, TV e Arte (charge, quadrinhos e ilustrações). A inscrição é feita no site www.premiodhdomtomasbalduino.com.br até dia 30 de setembro.

Em duas edições, - realizadas nos dias 2 de julho de 2019, no Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro, e 12 de dezembro de 2020, no canal oficial da UFG no Youtube -, foram premiados 21 jornalistas, nos primeiros e segundos lugares de sete categorias: Produção Jornalística em Texto, em Audio, Video, Web, Fotografia, Arte (charges, cartuns, caricaturas e quadrinhos) e Livro-Reportagem (estudantes universitários do 3˚ ano).

Todos os 59 trabalhos inscritos foram analisados por comissões julgadoras de alto nível composta por profissionais de reconhecida competência e atuação na defesa dos Direitos Humanos e do Jornalismo.

A iniciativa reverencia a memória de Dom Tomás Balduino, bispo dominicano morto em 2 de maio de 2014, incansável defensor dos direitos humanos, dos direitos indígenas, dos trabalhadores sem terra, comunidades tradicionais e da justiça social. E também presta homenagem a defensores e defensoras de direitos humanos por suas trajetórias de vida.

“A comunicação tem um papel fundamental na construção de uma cultura de direitos humanos e paz na sociedade para que cada pessoa possa ser respeitada e tenha dignidade na busca de sua própria felicidade; e para que sejam combatidas todas as formas de preconceito contra defensores e defensoras de direitos humanos. É preciso desmanchar a visão de que direitos humanos apenas se relacionam com as questões da criminalidade e da segurança pública. Defender direitos humanos também significa defender o direito à saúde e à educação de qualidade. É algo muito mais amplo e a imprensa tem um papel fundamental e ético na garantia do acesso da população à informação de qualidade para avançar em sua educação e humanidade,” afirma a comissão organizadora.

Contato Comissão Organizadora:

Angelita Lima (62) 98155 9181

Claudia Nunes (62) 99151 4407